INTRANET
WEBMAIL
WEBMAIL DEP
Fluxo de trabalho típico para a integração entre ajuste de histórico e modelagem geoestatística
Fluxo de trabalho típico para a integração entre ajuste de histórico e modelagem geoestatística

No ajuste de histórico convencional, propriedades petrofísicas tais como porosidade e permeabilidade, são usualmente modificadas usando-se multiplicadores. Esse procedimento pode gerar modelos geologicamente inconsistentes, principalmente quando as modificações são feitas regionalmente, pois as modificações podem causar descontinuidades no reservatório. Para manter a consistência geológica, respeitando a correlação espacial (variogramas) das propriedades petrofísicas, é recomendável que o processo de ajuste de histórico seja integrado com a modelagem geoestatística. Essa integração normalmente é chamada de “Big-Loop”. No entanto, essa integração gera um problema complexo porque a relação entre os parâmetros de entrada e as variáveis de saída (função objetivo) pode ser altamente não linear.

Um dos principais desafios é o ajuste de histórico local, porque é necessário perturbar o modelo localmente, para ajustar os poços individualmente e, ao mesmo tempo, manter a continuidade espacial da propriedade alterada. Além disso, é comum ocorrer influência cruzada, ou seja, modificação em uma região específica pode influenciar poços em outras regiões, aumentando a dificuldade do problema.

Os principais objetivos dessa linha de pesquisa são: (1) propor fluxos de trabalho automáticos para integrar o ajuste de histórico com a modelagem geoestatística; (2) propor metodologias para condicionar a geração de imagens geoestatísticas com base na qualidade do ajuste, com foco na perturbação regional para o ajuste de histórico local; (3) estudar novas metodologias para integrar o ajuste de histórico de reservatórios naturalmente fraturados com a caracterização de reservatórios.